50 tons fora de tom – Opinião sobre a trilogia “50 tons de Cinza” da E L James.


Oi gente, tudo bem com vocês?! 

Gostaria, primeiramente, de dizer que tudo que escrevo aqui é minha opinião pessoal, baseada na minha visão de mundo e naquilo que acredito e naquilo que entendi de tudo que li durante minha vida.  


Semana passada, escrevi uma resenha sobre o primeiro livro da trilogia “50 tons de cinza”, baseado no que senti e no meu entendimento pessoal sobre o livro, afinal cada um tem sua opinião, gosto e um olhar diferente sobre as coisas. Se quiser conferir o que achei do primeiro volume voudeixar o link aqui, mas hoje eu gostaria de falar sobre a minha impressão acerca da trilogia.
 
O primeiro livro achei objetivo, descritivo demais e já tinha dado pra perceber quão psicológico essa história seria, baseado nas dores da infância de Grey e tendo Anastasia como refúgio para curar-se de seus traumas. 

O primeiro livro deixa um gostinho de quero mais ao seu final, e praticamente emendei uma leitura na outra e gostaria de dizer que, apesar do terceiro livro ter as respostas que todos queríamos, meu preferido é o segundo livro, creio que por perceber de maneira surpresa e inesperada, a mudança de postura do protagonista em detrimento da companhia frequente da Anastasia.

O segundo livro, “50 tons mais escuros” é cheio de aventuras e muitas surpresas, pegando o leitor desprevenido em muitas situações e atitudes. Também nele, uma parte dos segredos de Christian é revelada, fazendo com que o leitor comece a compreender o que se passa em sua mente perturbada. 

O livro tem uma sequência boa e uma linearidade nos acontecimentos e no tempo, o sadomasoquismo fica relegado à segundo plano evidenciando então, a influência da Anastasia nos sentimentos de Christian, o que antes era essencial na vida dele depois não tem tanta importância assim. Na verdade, foi meu livro preferido da trilogia, talvez pela autora ter me surpreendido com algo que eu realmente não esperava (não posso contar devido aos spoilers).

O terceiro livro, “50 tons de liberdade” me surpreendeu negativamente, claro que tem surpresas também inesperadas ainda mais pelo leitor, porém achei principalmente no final, um pulo grande de tempo forçada (o que não acontecia antes), as histórias atropeladas e a parte principal do livro, o qual pelo menos eu, gostaria de ter acompanhado ainda mais a evolução sentimental e pessoal do Christian. 

Mas, a autora “jogou” os acontecimentos, fez uma breve mudança de tempo e “pow”, creio que não seja tão simples assim uma mudança tão brusca com o fato que ocorreu no fim do livro. Outra parte interessante foi a abertura da vida do Christian, ele se mostra como é, contando os fatos ocorridos com sua mãe biológica e com a Elena (Mrs. Robinson, que o inseriu no mundo do sadomasoquismo aos 15 anos).

Outro fato interessante foi a volta do Jack, antigo chefe da Anastasia, colocando um pouco de ação no livro, como também as revelações acerca da ligação entre Jack e Christian. Entre os epílogos há também muitas revelações, dentre elas, a visão de Christian sobre a entrevista de Anastasia para a faculdade, o primeiro dia que se viram...o livro todo se passa na perspectiva de Ana e essa surpresa final me deixou encantada.

A trilogia me surpreendeu de todas as formas, e mais do que nunca afirmo que é um romance, com seus altos e baixos, seus momentos de carinho, suas brigas, seus desentendimentos e seus ajustes. O livro ensinou que, mesmo que tenha um passado sombrio e um presente incomum, o futuro pode ser mudado para melhor, que as pessoas podem evoluir e se tornarem menos egocêntricas.

A questão do romance erótico, a questão do sadomasoquismo (tão criticada, rebatida por homens e mulheres) é tão secundário no livro, ao menos para mim. Fazem parte sim, da grande mudança pessoal do protagonista, relevando tudo a segundo plano, quando o mais importante mesmo é o amor da Anastasia e seu bem estar.A tensão que Christian tinha era descontada no estilo de vida que ele tinha...quando ele aprendeu a amar então canalizou tudo para o sentimento, sendo realmente feliz como nunca havia imaginado ser.

É isso gente, essa é a minha visão dos livros da série “50 tons de Cinza”. 

Espero que tenham gostado. Até a próxima! 

Beijocas, Gi

12 comentários:

  1. Essa trilogia tá pior que religião, viu? hahahaha.. se for pra começar a discutir ninguém para. Minha curiosidade pra ler é grande, mas ao mesmo tempo não curto muito essas histórias com macho alfa e mocinhas indefesas. E sabendo que foi baseada na Bella e no Edward é que me dá mais medo.como faz? hehehe

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hahahahahahaha.. ai Erika dá uma chance! A Gi leu com medo do que ia encontrar por ser um livro erotico ¬¬' mas confesso que eu também não gostei da trilogia não.

      =*

      Excluir
  2. É um ibope grande que tem nessa trilogia!!!! Interessante o perfil que atraí tb!!! Qual garota que nunca se sentiu atraída pelo rapaz garotão problemático? Amei o resumo, torna o livro super interessante!!! Parabéns!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pos é Vanessa o ibope pra essa serie foi muito, mas confesso que achei muito alarde para pouca coisa ^^

      =*

      Excluir
  3. Eu li e odiei, acho muito ibope pra uma estória tão mal estruturada pra um problema tão complexo como sadomasoquismo, a autora o usou levianamente.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Aloha Kaah! ^^

      To com vc nessa.. achei muito ibope para pouca coisa, mas fazer o que se tem gente que gosta né!

      =*

      Excluir
  4. Honestamente a série não é boa, contudo por ser a 1° que alavancou outras séries e tals acaba gerando muita briga.
    Eu gosto do 50 tons por causa do CHRISTIAN! Eu só li por causa dele,por mim a Ana#tapada não existia.Eu só fico me perguntando como é que um homem gato-gostoso-bom de cama pra caramba-rico-sarcástico-sexy e tudo mais um pouco se apaixona por uma chata feito a Ana. Só na cabeça da autora mesmo.Ás vezes eu parava a leitura,por que a Ana é um porre.
    Teria sido melhor um POV do Christian
    Enfim. Eu gosto muito.#Grey
    Acredito que cada um deva ler e tirar suas próprias conclusões.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Aloha Brenda! ^^

      A serie por ser a primeira do gênero realmente chamou muita a atenção, mas poderia ter sido melhor trabalhada. E sim a Ana tira a paciência de qualquer um e aquela "deusa" dela me irritou horrores.
      #prontofalei.

      =*

      Excluir
  5. Eu vim comentar pra dizer que não vou ler e nem comentar =x
    To tão abusada de livro nessa temática.
    Até gostei da trilogia, mas saturei de ouvis falar de Grey.
    Ele vai bater na minha porta? NÃO
    Vai me oferecer o mundo inteiro? NÃO
    Vai me jogar na parede e me chamar de lagartixa? NÃO

    Então também não quero mais saber dele ¬¬

    Beijos
    Isa
    www.passaporteliterario.com

    ResponderExcluir
  6. Eu ainda estou lendo o segundo livro, estou gostando mais do que o primeiro, o Christian está fabuloso, agora concordo com nossa a colega Brenda, a Ana às vezes dá uma raiva dela, o cara é tudo de bom e ela ainda fica fazendo charminho, assim não dá... Beijos!!! Cris

    ResponderExcluir
  7. Ai meu Deus , ler ou não ler ?! A Dúvida ta maior ainda do que quando li sua resenha de 50 tons . kkkk
    Mais vou deixar de lado por enquanto , e quem sabe futuramente eu leia.

    Beijos
    Camila S.
    resenhandolivrosefilmes.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  8. Eu li a trilogia e gostei, mais concordo que no final faltou um pouco mais, o pulo no tempo deixou um gostinho de quero mais e também concordo que depois que li o primeiro só continuei por causa de Crhisthian, onde se encontra um homem desses, não existe. #AMOGRAY

    ResponderExcluir

Seu comentário é sempre bem vindo!
Comente, opine, se expresse! Este espaço é seu!

Se quiser fazer contato por email, utilize o Formulário de Contato

Espero que tenha gostado do blog e que volte sempre! =)

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...